Pesquisar este blog

quinta-feira, 16 de junho de 2011


Como arquiteto, Kein Cross é muito bom em estimar espaços. Em Paris, quando viu a casa do século 18 num anúncio, ele sabia que seria pequena – talvez 2,7 ou 3 metros de profundidade.

Mas ao adentrá-la num dia chuvoso de janeiro, Cross percebeu que sua estimativa era otimista demais. A casa, que mais tarde descreveria aos amigos em Nova York como uma 'casa de carruagens’, tinha respeitáveis 5,8 metros de largura – mas apenas 1,98 metro de profundidade. A sala de estar, retirada a área tomada por uma escada, tinha menos de 1,22 metro de comprimento. Se Cross esticasse os braços, tocaria facilmente as duas paredes opostas. A cozinha era tão pequena que não havia espaço para abrir a porta do forno.

A reação de Cross? “Uau! Foi como se Deus tivesse me enviado aquilo”, disse ele, exuberante. “Independente de seu tamanho, você tem dois andares e uma escada, e pode criar luz e espaço. Fiquei tão animado que me ofereci para pagar três anos adiantados”.

Cross, que também possui um apartamento em Greenwich Village, continuou: “O lugar precisava de mim. Era um diamante não lapidado. Honestamente, entrei ali e vi exatamente o que eu faria, e exatamente a forma como ficaria – e sem mim nunca iria acontecer. E o que poderia ser mais divertido do que passar um mês na Meca da decoração, montando minha própria casa?” Vale apontar que Cross está sempre buscando locais incomuns; seu duplex em Nova York, que apareceu na revista 'Home’ há dois anos, traz um elevador de carga de um metro quadrado que ele transformou num banheiro.


A cozinha era tão pequena que ele instalou banheiro vaidades. Ele também jogou para fora do forno, substituindo-o com um fogão de duas bocas em cerâmica preta. "Você só precisa de um forno para assar, ea última coisa que eu era um peru assado, em 1986," Mr. Cross disse.
Postar um comentário