Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Construir Ecologicamente


EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA CONSTRUÇÃO

Orientação

O Sol é uma fonte de luz que pode e deve ser aproveitada em casa. A orientação do edifício deverá estar optimizada para as diferentes estações do ano. O objectivo de uma boa orientação do edifício é receber grande incidência de calor no Inverno e evitar a sua entrada durante o Verão. A fachada principal dos edifícios deve estar
direccionada para sul (convenientemente protegida para evitar a entrada de sol no Verão) e deverá conter a maior área de envidraçados. A parte da casa virada a norte deve apresentar o mínimo de janelas possível, para evitar a saída de calor no Inverno.

                                                                      Isolamento

O correcto isolamento das superfícies pode reduzir até 30% do consumo de energia. Durante o Inverno, estima-se que mais de 50% da energia utilizada para o aquecimento se perde por falta de isolamento, através das paredes, tecto e soalho. O isolamento pode ser alcançado recorrendo a vários tipos de materiais e técnicas.

Coberturas: Utilize placas de poliestireno expandido, poliestireno extrudido (“roofmate”), lãs minerais (rocha e vidro), poliuretano, etc., para isolar a laje ou telhados da sua habitação;

Paredes exteriores: Na construção de uma casa aplicar sempre isolamento continuo, no interior da parede dupla ou no exterior da parede, de poliestireno expandido, poliestireno extrudido ou outro material isolante. A aplicação exterior é recomendada em remodelações de edifícios.

Pontes Térmicas: (vigas, pilares, intersecção com lajes, ombreiras de portas e janelas). Quando o isolamento é efectuado em parede dupla é necessário isolar as pontes térmicas, de modo a evitar o aparecimento de humidade e manchas de bolores localizadas, devido às condensações. Se o isolamento for contínuo pelo exterior, já não há necessidade de isolamento adicional para as pontes térmicas.

Calafetagem: Cerca de 15% da energia que se utiliza no aquecimento e arrefecimento da casa perde-se através das frinchas, neste caso isole as frinchas com fita adesiva de espuma, preparada para o efeito.

JanelasOs envidraçados são áreas sensíveis para o conforto térmico da casa, uma vez que conduzem a perdas de calor no Inverno e aquecimento da casa no Verão.

Janelas: A utilização de vidros duplos com caixilharias de baixa transmissão térmica (por exemplo PVC), pode reduzir até 50% as perdas térmicas através das janelas, bem como o ruído exterior.

Protecção solar: os envidraçados com grande exposição solar (em especial os orientados a sul), devem ter elementos de protecção, como persianas exteriores ou palas por forma a minimizar os ganhos solares no Verão e maximizar os ganhos solares no Inverno.

Fachadas envidraçadas e clarabóias: Deverão ser criadas condições para aproveitar a ventilação natural, com entradas ao nível inferior e saídas ao nível superior.

Sombra

Um correcto sombreamento evita consumos de energia desnecessários, deixando entrar o calor no Inverno e protegendo a casa dos raios solares no Verão. Coloque portadas, estores exteriores e palas ou plante árvores de folha caduca, de modo a minimizar o aquecimento no Verão, tornando a casa mais fresca e a maximizar a entrada de luz solar no Inverno. No jardim coloque arbustos nos lados mais ventosos para cortar o ar frio, tornando o aquecimento mais eficiente durante o Inverno.

                                                            Pintura

• As cores utilizadas nas fachadas e coberturas também influenciam o conforto térmico.

Seja selectivo na escolha da cor da sua casa, considerando que as cores claras não absorvem tanto calor como as cores mais escuras. Enquanto uma fachada branca pode absorver apenas 25% do calor do sol, a mesma fachada, pintada com cor preta pode absorver o calor do sol em 90%. Deste modo as cores claras reflectem melhor a luz e diminuem a necessidade de iluminação artificial.

• Mas caso viva numa zona muito fria, é mais eficiente utilizar tons mais escuros.

• Prefira tintas de água às de base solvente.

Dicas para uma casa ecológica:

• O lado Norte da casa deve ser reservado a W.C.s, arrumos, ou outras divisões que necessitem de poucas aberturas (ou mesmo nenhuma) para o exterior. É nesta orientação que se originam grandes perdas térmicas através do vidro durante a estação fria.

• As fachadas envidraçadas originam grandes ganhos térmicos na estação quente e perdas térmicas muito consideráveis durante a estação fria, o que implica sistemas de climatização adicionais para corrigir este efeito. A área de envidraçado de uma divisão não deve ultrapassar 15% da área de pavimento dessa divisão.

• Devemos também tirar partido do sol no que respeita a iluminação. Prefira divisões iluminadas naturalmente para minimizar a necessidade de iluminação artificial. Existem no mercado equipamentos de transporte de luz natural para divisões não iluminadas. Este “transformador de luz natural”canaliza a luz do exterior para o interior.

• Se o pavimento de sua casa estiver em contacto com o solo, opte por isolantes térmicos imputrescíveis e resistentes à água, ou pavimentos com caixa-de-ar e devidamente impermeabilizados para evitar perdas térmicas ou outras patologias associadas através do solo.

• A renovação do ar interior é muito importante para que se mantenham as condições de salubridade interior nos edifícios. Uma casa insuficientemente ventilada poderá gerar humidade através dos vapores que se formam, afectando o conforto ou mesmo a saúde dos habitantes. Verifique se as caixilharias possuem dispositivos que permitem a ventilação.

• Se vai construir a sua casa, adopte uma forma rectangular, pois as formas em L, T ou U aumentam o número de paredes exteriores, que ficam expostas ao frio do Inverno.

• Proteja as portas de entrada em casa com portas interiores, formando halls de entrada que dificultam a entrada do frio ou do calor na casa.

• Posicione a chaminé da sua lareira numa parede interior, de modo a que o calor gerado não se perca e seja conservado no interior da casa.

• Dê especial importância aos materiais utilizados, preferindo os de baixo impacte ambiental, não só na sua produção, mas também ao longo da sua vida útil. Informe-se sobre o poder de reutilização ou reciclagem dos materiais utilizados na sua casa.

• É importante escolher materiais homologados e/ou com marcação CE e, nos casos mais importantes, solicitar os certificados de conformidade de acordo com as especificações aplicáveis, emitidos por entidades idóneas e acreditadas, seguindo as instruções dos fabricantes para a aplicação dos mesmos.

APLICAÇÃO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS NA CONSTRUÇÃO

Colectores Solares Térmicos

É um dos sistemas mais acessíveis para aquecer a água. No Kit a instalar, para além dos colectores solares, é incluído um acumulador que tem a função de armazenar água quente. Estes equipamentos captam a energia do Sol e transformam-na em calor, permitindo poupar até 70% da energia necessária para o aquecimento da água.

Principais Aplicações:

• Produção de Água Quente Sanitária (AQS), para uso doméstico, hospitais, hotéis, etc.

• Aquecimento de piscinas

• Aquecimento e arrefecimento ambiente

• Produção de água a elevadas temperaturas destinada a uso industria

                                                            Painéis Solares Fotovoltaicos

Estes painéis constituem uma das mais promissoras formas de aproveitamento da energia solar. Através de células fotovoltaicas, a energia contida na luza do Sol é convertida em energia eléctrica. Podem ser utilizados em locais isolados, sem rede eléctrica, ou como sistemas ligados à rede.

Principais Aplicações:

• Electrificação remota: actualmente uma das principais aplicações da energia fotovoltaica é a possibilidade de fornecer energia eléctrica a lugares remotos.

• Sistemas autónomos: Bombagem de água para irrigação, sinalização, alimentação de sistemas de telecomunicação, etc.

• Integração em edifícios: a integração de módulos fotovoltaicos na envolvente dos edifícios (paredes e telhados) é uma aplicação recente, podendo representar reduções de custos construtivos e energéticos. A energia produzida em excesso pode ser vendida à companhia eléctrica, e quando existem insuficiências, esta pode ser comprada.

Sistemas de Aquecimento a Biomassa

A Biomassa subentende o aproveitamento da matéria orgânica (madeira, produtos e resíduos agrícolas, resíduos florestais, resíduos animais, resíduos de alimentos; resíduos sólidos, plantas aquáticas e algas, etc.). Em casa, pode ser utilizada em sistemas de aquecimento representando significativas vantagens económicas e ambientais.

                                                       Micro-turbinas Eólicas

As micro-turbinas eólicas são sistemas accionados pela energia do vento para produzir electricidade. Embora as micro-turbinas eólicas mais comuns sejam colocadas no terreno, existem umas de pequena dimensão que podem ser aplicadas no topo das habitações. Podem significar uma redução do consumo de electricidade de 50% a 90%.

                                                   Bombas de Calor Geotérmico

Este sistema aproveita o calor do interior da Terra para aquecimento ambiente.
Relativamente às caldeiras convencionais, as bombas de calor geotérmico actuam como máquinas de transferência de calor. No Inverno absorvem o calor da Terá e transportam-no para o interior da casa. No Verão funcionam como ar condicionado, retirando o calor que está instalado dentro de casa para refrigerá-lo no solo.

Postar um comentário